Skip links

Ponte da Barca| “A casa da minha mãe está a apodrecer e os responsáveis lavam as mãos!”

Uma família residente na freguesia de Magalhães, concelho de Ponte da Barca, vive atualmente desesperada sem saber a quem mais recorrer para solucionar o problema que os embarga desde o mês de dezembro

“a casa da minha mãe está a apodrecer porque desde há quase um mês a habitação fica inundada todos os dias. As águas do rego público deitam agora toda a água para o interior da habitação da minha mãe. Isto porque depois das obras feitas na casa do vizinho a Câmara deu canos de tamanho inferior e agora o caudal é muito abundante e a casa da minha mãe é uma autêntica cascata”. 

Pub 

A família, já comunicou, inúmeras vezes, o sucedido à Câmara Municipal de Ponte da Barca

“num primeiro momento, quando as inundações começaram a acontecer, liguei para a Câmara Municipal  para informar o problema. Uma vez que o rego é público, ou seja, da responsabilidade da Câmara Municipal. Mas jamais consegui falar com alguém. Depois de imensas tentativas sem resposta redigi um mail, dia 21 de janeiro”.

No mail enviado pela família à Câmara Municipal pode ler-se

“após vistoria por parte da companhia de seguros em casa de minha mãe, venho por este meio solicitar a emissão de um relatório técnico da vistoria efetuada pela arquiteta Gisela Paredes à referida habitação.  Irá ser iniciado um processo judicial para apurar a responsabilidade pelos danos na habitação, sendo a Câmara Municipal de Ponte da Barca responsável pela fiscalização das obras particulares solicito também um parecer técnico relativo à casa contígua à afetada pela inundação. É de lamentar uma instituição como a Câmara Municipal não ter feito ainda nada para alterar temporariamente o curso do rego!”

A família, que ainda sofre com as constantes inundações dentro da habitação encontra-se à espera do parecer técnico da vistoria que foi realizada no mês de dezembro uma vez que, como afirmam

“é um rego público, e é competência da Câmara Municipal. Só que isto já se tornou o jogo do empurra…o empreiteiro que fez as obras na casa do vizinho diz que a responsabilidade é da Câmara, a Câmara diz que a responsabilidade é do empreiteiro e assim vamos”…

Os danos na habitação já começam a ser visíveis. Rodapés podres, armários embutidos a descolarem

“se isto continuar assim não sei o que irá acontecer. Um dos nossos familiares até já fez uma ‘engenhoca’, uma pequena barragem para desviar a água que entra em casa para um ralo. Mas são só remedeios. Porque a realidade é que os responsáveis estão a lavar as mãos e a casa continua a ser alvo de constantes inundações.”

Pub

Os elementos de esta família contactaram o PV para dar conta da situação por se sentirem

“abandonados e sem meios para resolver a situação. Pode ser que publicando a nossa história e aquilo que se está a passar os responsáveis ganhem vergonha e o problema seja resolvido”, garantem.

Até à publicação desta notícia não nos foi possível obter esclarecimentos por parte da Câmara Municipal de Ponte da Barca sendo que a possibilidade do contraditório está em aberto.

Por sua parte a família quis enviar os vídeos que evidenciam o estado das ‘inundações’ naquela habitação.

Pub

Comments are closed.