Skip links

Caminha| Apesar da ajuda recebida no lar autarca afirma “vamos ter mortalidade nos próximos dias”

Uma equipa de cinco auxiliares e dois enfermeiros, enviada pela Segurança Social, vai entrar na segunda-feira no Lar Casa de Repouso da Confraria do Bom Jesus dos Mareantes, em Caminha.

Segundo avança o jornal JN, gerou-se uma enorme uma onda de solidariedade popular, após um apelo feito pela Câmara local, após constatar que os recursos humanos na instituição não eram suficientes para fazer face a um cenário dramático: 59 infetados com covid-19, entre os quais 24 funcionários. Há três utentes internados no hospital de Viana do Castelo “em estado crítico” e registam-se quatro mortes, a mais recente na noite de sábado.

O serviço no lar estava a ser assegurado por 10 colaboradores, incluindo elementos da direção, e uma brigada de três elementos, enviada pela Segurança Social. Este domingo, chegaram resultados de novos testes a confirmar mais infetados e “a situação ficou descontrolada”, segundo o autarca Miguel Alves.

Após apelar à disponibilização de recursos humanos para ajudar, “dezenas de pessoas” voluntariaram-se e três entraram durante o dia para o lar como voluntárias. “Não só a pronta e boa resposta que a Segurança Social deu é de ressalvar, mas também saliento as dezenas de pessoas que se prontificaram para ajudar“, afirmou este domingo à tarde Miguel Alves.

O autarca afirmou que “perceber que quando precisamos de ajuda, a população está connosco é fundamental”, revelando ainda que “três pessoas, que têm algum conhecimento na área, foram bater à porta da instituição e já estão com os idosos, a ajudar a fazer comida e limpezas”.

Apesar das “boas notícias”, o Miguel Alves avisou: “Vamos ter mortalidade nos próximos dias”.

Escreva um comentário

Nome

Website

Comment