Skip links

Arcos de Valdevez | Jolda São Paio “destruíram o património da freguesia e ninguém faz nada”

O PV recebeu uma denúncia vinda de um morador da freguesia de Jolda São Paio, no concelho de Arcos de Valdevez e que dá conta da alegada ‘destruição’ por parte da Junta de Freguesia, de um dos baluartes mais importantes que teria o Lugar de Vália “um tanque e fonte feito pelos nossos avós, há muitos anos e que significava o mais importantes património da nossa freguesia”.
Os moradores explicam que a Junta de Freguesia, terá assinado um protocolo com a Comissão Fabriqueira da Igreja para a realização de obras que visavam o melhoramento do adro da Igreja Paroquial.
Os moradores não queriam que ditas obras destruíssem a fonte-tanque e terão entregue um abaixo assinado a mostrarem discordância com as ditas obras “que iriam destruir o único tanque-fonte que havia na freguesia e que tinha sido construído pelos nossos avós (…) eles não quiseram saber e a resposta que deram ao abaixo assinado entregue por nós, população da freguesia, foi o alcatrão que hoje em dia em dia se vê e que soterrou por completo o nosso tanque que era tão importante para a nossa freguesia”, sentenciam.

No abaixo assinado enviado à Junta de Freguesia e à Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, endereçado especificamente, ao Presidente da Autarquia, João Manuel Esteves os populares explicam o porquê da revoltam que agora têm  “a Fonte da Vália, e respetivo tanque, que contam com mais de meio século, são parte integrante do património e memória coletiva da Freguesia de Jolda (S. Paio). Esta fonte é, sem dúvida, um ex-líbris desta aldeia e faz parte do património das suas gentes. A fonte era um lugar de convívio entre várias gerações, onde se faziam festas populares, as crianças brincavam….assim foi durante décadas”.

Por todas estas razões vertidas no documento a população sente-se indignada pelas obras realizadas pela junta de freguesia e que “destruíram a nossa memória coletiva, soterrando o património que a nós pertencia”.

Os comentários e queixas replicam nas redes sociais e os moradores alegam que nunca receberam resposta aos abaixo assinado entregues na Junta de Freguesia e na Câmara Municipal “por isso é que nós afirmamos que a única resposta que nos deram ao nosso abaixo assinado foi colocarem alcatrão por cima da nossa fonte”.

O PV sabe que o dia de hoje, 31 de agosto, o presidente da Câmara Municipal esteve na freguesia no âmbito da monitorização das  obras a decorrerem e foi confrontado por alguns populares que não perderam a oportunidade de questionar o porquê da não resposta por parte da autarquia ao abaixo assinado entregue “hoje a reunião foi na sede da junta. Nós pensávamos assistir e puder expor aquilo que pensamos mas não nos foi permitida a entrada. Mas o Presidente da Câmara foi questionado e foi-lhe perguntado porquê não respondeu ao abaixo assinado e ele disse que recebeu e que enviou o documento para os recursos humanos. Ao ser confrontado com a pergunta de porquê não ter intervindo respondeu que o assunto não era responsabilidade da Câmara (…)mas o senhor Presidente Dr. João Manuel na mesma conversa admitiu que o património da freguesia pertencia ao Concelho e eu voltei a perguntar, então, porquê não fez nada? E ele respondeu que a responsabilidade era da Junta de Freguesia”.

Os moradores, sentem-se abandonados e completamente sós nesta ‘luta’ pela reivindicação daquilo que asseguram ser o património da freguesia e já levaram a situação até ao Tribunal “para assim tentarmos resolver esta situação”.

O PV tentou obter esclarecimentos junto da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez acerca deste assunto mas até ao momento, não obteve qualquer resposta.

Notícia em atualização

Anúncio