Skip links

AGUAS DO ALTO MINHO SUSPENDE EMISSÃO DE FATURAS

Depois da reunião que mantiveram esta segunda-feira os representantes dos 7 concelhos do Alto Minho e a direção da ADAM, foi decidido a suspensão de emissão de faturas até que consigam resolver “os erros que estiveram na base dos problemas identificados”.

Nas últimas semanas os consumidores queixaram-se do excessivo incremento na faturação desde que a empresa passou a gerir as águas, e desta forma, dia-a-dia, apareciam cada vez mais denúncias nas redes sociais, dando passo a manifestações com panos brancos nas janelas e uma petição pública para assinar e pedir, desta forma, o fim da empresa.

Esta segunda-feira a ADAM, em comunicado oficial informou que “está a proceder à regularização de todas as faturas que foram involuntariamente emitidas com incorrecções e que está a reforçar os serviços de atendimento telefónico e eletrónico de forma a melhorar a capacidade de resposta aos clientes, a qual ficou afetada pelo encerramento dos oito postos de atendimento presencial no contexto da pandemia covid-19”.

A empresa confessa, de igual forma, estar convicta “que essas anomalias poderão causar transtornos aos clientes, e tendo em conta as dificuldades de assegurar a normalidade do atendimento, a AdAM não fará cortes de água até junho de 2020 e irá disponibilizar a possibilidade de solicitarem o pagamento em prestações sem aplicação de juros”.

Esclarecendo ainda que “reafirma a todos os clientes que apresentaram reclamação da sua fatura que a mesma se encontra registada e com o devido acompanhamento, do qual resultará o envio de uma carta a cada cliente afetado pelos erros identificados. As anomalias verificadas na faturação serão regularizadas através da emissão de notas de crédito, caso tenha sido cobrado algum valor indevido, sem qualquer prejuízo para os clientes”.

 

PUBLICIDADE

 

Escreva um comentário

Nome

Website

Comment

  1. O Resultado vai dar ZERO…O protelar é só para acalmar as pessoas..Sou de opinião de não aceitar este protelamento, porque as cartas individuais vão conter argumentos injustificáveis….Que a água volte aos Municípios ….

  2. O problema principal não são os lapsos na emissão das facturas, mas sim os aumentos brutais nas tarifas da água para alimentar uma série de parasitas que arranjaram poiso nesta nova empresa, criada para arranjar “Jobs for the boys”, dos políticos em fim de mandato!
    Este é que é o problema é que só se resolve com um regresso à situação anterior!

  3. O problema está no aumento do preço sem justificação, no mínimo para o dobro, não são só as faturas erradas…
    Se estão erradas há que não pagar até emendar, mas e os outros que recebem faturas com o dobro do valor que pagavam…?
    Não há justificação criar uma estrutura, pagar e bem a vários gestores com as mordomias respetivas para fazer o mesmo serviço que já era feito nas Câmaras não tem lógica nenhuma.
    Os municípios de Viana, já tinha estruturas e pessoal uniam- se e juntavam pessoal e estruturas, no Alto Minho.
    Agora uma nova empresa em Barcelos, distrito de Braga, em Barcelos onde um buraco gigantesco por causa da água, com novos e mais gestores que pelos vistos não sabem gerir nada, senão não havia as broncas que há.
    Foi um erro e mais grave ninguém consultou ou questionou os munícipes para autorizarem ou aceitarem que quem tem mandatos de 4 anos se comprometa por 30…

  4. Post comment

    jose luis ferreira soares says:

    como é possivel pagar 41 euros em 17 dias aonde eu pagava 11 euros preciso de uma resposta para este roubo escandaloso