Skip links

Quem tem um ‘Xeninho’ tem tudo…e a Barca tem!

Há pessoas que pela sua forma de ser e de estar na vida transformam-se, com o passar dos anos, quase em lendas vivas. Fontes inesgotáveis de sabedoria. Aqui, em Ponte da Barca existe um homem assim. Alguém que tem sempre uma história para contar, uma anedota para relembrar, algo de muito importante para ensinar. O meu percurso como estudante não foi feito aqui em Portugal, mas sem dúvida, gostaria de ter contado com a felicidade de encontrar uma pessoa como ele, para fazer as tardes de estudo bastante mais agradáveis e cheias de verdadeiro ensinamento. Todas as pessoas que o conhecem, desde as mais velhas, até aos mais novos têm um carinho especial por ele. É daquelas pessoas que tem sabido deixar marcas em todos aqueles que se cruzam com ele no seu dia-a-dia, e conseguir despertar este carinho nas pessoas é um talento que só alguns podem ter, e ele tem-no. O seu nome é Arsénio Dias, mas é conhecido por Xeninho, e é assim que o chamaremos nesta pequena e singela homenagem ao nosso Xeninho da Barca ‘o Google feito pessoa’!

Fui ter com ele com o intuito de recolher informação para uma reportagem que estou a desenvolver e rapidamente percebi tudo aquilo que me tinham dito do Xeninho: é impossível estar com ele e sair da biblioteca sem ter aprendido alguma coisa -no meu caso muitas! Sempre prestável e simpático, com uma educação e respeito que já não são comuns nos tempos que correm. Fez-se claro na minha cabeça o porquê de me terem dito que ele é como uma enciclopédia viva. Uma simples conversa, que poderia ser banal, ele transforma-a, rapidamente, num episódio de história. Todo ele é um magnifico contador de histórias! E que privilegio que é ouvi-lo e entender que aquele homem, passados mais de 40 anos ao serviço da Biblioteca Municipal, ainda gosta profundamente daquilo que faz “eu estou próximo da reforma, mas gosto muito daquilo que faço. Vou tentar viajar e conhecer o mundo doutra forma”, e nós sabemos que o descanso após uma longa e dedicada vida de trabalho é merecido, mas o Xeninho fará muita falta, sem dúvida alguma!

Eu própria, cheguei a pensar que pelo facto de estarmos a viver numa era digital as bibliotecas tivessem caído um pouco em desuso, mas o Xeninho rapidamente esclareceu orgulhoso “os jovens e crianças continuam a procurar a biblioteca não só como ambiente que proporciona o estudo, mas também para encontrarem informação. Até os universitários, nas suas férias, frequentam a biblioteca para fazerem grupos de estudo”. E foi esta conversa das bibliotecas que nos levou a uma história, que achei sumamente interessante “antigamente, no meu tempo de criança, não existiam as bibliotecas como as conhecemos hoje em dia. Aqui na Barca, podíamos ter acesso aos livros, uma vez por mês, quando chegava a biblioteca itinerante da Fundação Gulbenkian. Eles traziam os livros e nós podíamos consultá-los. Era a única forma que existia de termos acesso a um livro. E foi assim durante muitos anos. Até que depois fez-se a primeira Biblioteca Municipal de Ponte da Barca, onde hoje em dia é a sede da ADPB (…) as pessoas quando se fez a biblioteca ficavam maravilhadas com o facto de puderem levar os livros para casa. Era algo novo. Naquele tempo o acesso à informação não era fácil. E a chegada da biblioteca fez que as pessoas se sentissem mais livres”, conta entusiasmado.

Todo o saber popular de que é detentor faz que o Xeninho seja uma ótima companhia, um homem de conversa fácil e interessante. Sem dúvida que deviam existir mais pessoas como ele. Que sabem, e gostam, da história e a tratam com o devido carinho e respeito. Conseguindo transmitir às gerações mais novas o amor pela terra, pelas tradições e pelos episódios únicos, que são tão nossos, e que colmatam aquilo que significa ser barquense.

O orgulho nas tradições, o conhecimento das lendas, a vida dedicada ao conhecimento com verdadeiro sentimento altruísta.

Assim é o Xeninho da Barca. Uma lenda viva e um dos homens mais representativos e de mais valor que encontramos na nossa Barca ‘sempre formosa e contente’.

Obrigada Xeninho!

Escreva um comentário

Nome

Website

Comment